2021-12-15
Radiações Ionizantes
O Decreto-Lei n.º 108/2018, de 3 de dezembro estabelece o regime jurídico da proteção radiológica, transpondo a Diretiva 2013/59/Euratom (Comunidade Europeia deEnergia Atómica). Este diploma aplica-se a todas as práticas que envolvam a utilização de radiações ionizantes, bem como à exposição ocupacional, à exposição do público e à exposição médica a radiações ionizantes.

Este DL fixa na sua Subsecção II, os Limites de dose para o público e para os trabalhadores e aprendizes. A tabela abaixo apresenta os limites fixados para o público e para os trabalhadores expostos:

Limites fixados para o público (de acordo com o artigo 65º)

Limite de dose efetiva 1 mSv/ano
Limite de dose equivalente para o cristalino 15 mSv/ ano
Limite de dose equivalente para a pele50 mSv/ano

Limites fixados para os trabalhadores expostos (de acordo com o artigo 67º)

Limite de dose efetiva

20 mSv/ano

Nota: em alguns casos, e mediante a autorização da autoridade competente, a dose efetiva que pode atingir 50 mSv num mesmo ano

Limite de dose equivalente para o cristalino

20 mSv/ano ou em 100 mSv por um período de 5 anos consecutivos, desde que a dose máxima num ano não ultrapasse 50 mSv

Limite de dose equivalente para a pele

500 mSv/ano
Limite de dose equivalente para as extremidades500 mSv/ano

Nota: o DL n.º 108/2018, fixa também os valores de exposição máxima para estudantes e aprendizes e também para grávidas.

Com o objetivo de garantir a proteção contra radiações o DL n.º 108/2018 define que os titulares dos estabelecimentos devem adotar medidas adequadas nos locais de trabalho, bem como devem definir de zonas vigiadas e zonas controladas de acordo com a classificação:

a)Zona controlada - área em que seja possível que a exposição a que os trabalhadores estão sujeitos durante um ano possa ultrapassar uma dose efetiva de 6 mSv por ano, ou três décimas de um dos limites de dose fixados.

b) Zona vigiada - área em que seja provável que a exposição a que os trabalhadores estão sujeitos durante um ano possa ultrapassar uma dose efetiva de 1 mSv por ano ou a uma dose equivalente de 15 mSv por ano, para o cristalino do olho, ou de 50 mSv por ano, para a pele e as extremidades dos membros.

 

Deste modo deve existir sinalização indicativa do tipo de Zona, da natureza das fontes de radiação presentes, e dos riscos que lhes são inerentes.


A Sinalux desenvolveu duas novas soluções para a identificação de zonas sujeitas a radiação:



P 11 32
P 11 33

Estão disponíveis em PVC fotoluminescente, PVC opaco, alumínio plastificado e vinil, nas medidas: 150x200|200x300|300x400|400x600mm.

2021-09-10
A Lei sobre prevenção do tabagismo mudou!
Para atualizar a sinalização do seu espaço, adquira o sinal com a devida alteração.
2021-09-10
A Lei sobre prevenção do tabagismo mudou!

A Lei sobre prevenção do tabagismo mudou!

De acordo com o Decreto-lei 9/2021, de 29 de janeiro, que constitui a mais recente alteração à lei 37/2007, de 14 de agosto, fumar fora dos locais previstos para tal passa a constituir contraordenação económica leve, punível nos termos do Regime Jurídico das contraordenações Económicas (RJCE) com coima até 500€.

Para dar cumprimento à legislação em vigor todos estes sinais foram atualizados em conformidade e encontram-se desde já disponíveis para aquisição.

Consulte todas as opções de sinalização no catálogo online.

2020-10-27
Prevenção de quedas e escorregões: nova solução fotoluminescente e antiderrapante
Um responsável pela segurança de um edifício onde existam vãos de escadas enfrenta dois desafios quando pensa na proteção das pessoas que circulam nestes locais.
2020-10-27
Prevenção de quedas e escorregões: nova solução fotoluminescente e antiderrapante
Um responsável pela segurança de um edifício onde existam vãos de escadas enfrenta dois desafios quando pensa na proteção das pessoas que circulam nestes locais:
  • Por um lado precisa de proteger os utilizadores de possíveis escorregões e quedas, decorrentes da utilização diária destes espaços.
  • Por outro lado é necessário também sinalizar corretamente todos os degraus, de forma a que possam ser imediatamente visualizados numa situação de emergência, em que possa existir pouca ou nenhuma iluminação, ou até fumo.
A Sinalux, em complemento às soluções já existentes, lança agora novas opções para a proteção de degraus, que aliam à sinalização fotoluminescente propriedades antiderrapantes melhoradas, pensadas para aplicações mais exigentes.




Estes novos produtos são mais adequados para locais onde, pelo tipo de utilização ou pelas próprias características construtivas, é
necessária uma solução com maior resistência ao escorregamento. Incluem-se aqui, por exemplo, situações como as de escadas mais íngremes ou apertadas, ou locais em que os riscos ou as consequências destes escorregamentos possam ser elevados.

A Sinalux desenvolveu ainda novas soluções de perfis para solo com características antiderrapantes melhoradas. Estes novos produtos destinam-se igualmente a locais que, ainda que sendo planos, necessitam de uma solução com uma maior resistência ao escorregamento, ou que combine esta maior
resistência às propriedades de um produto fotoluminescente.




Pode encontrar as diferentes soluções de perfis para solo e proteções de degraus disponíveis na página 153 do catálogo Sinalux, bem como no catálogo digital.

A nossa equipa de apoio ao Cliente está, como sempre, disponível para responder às suas questões sobre estas e outras soluções de sinalização Sinalux.
2020-10-07
Nova sinalização para tratamento de beatas de cigarros
A Lei n.º 88/2019 de 3 de setembro trouxe novas regras no que respeita ao descarte de pontas de cigarros.
2020-10-07
Nova sinalização para tratamento de beatas de cigarros

A Lei n.º 88/2019 de 3 de setembro trouxe novas regras no que respeita ao descarte de pontas de cigarros.

É agora proibido o descarte em espaço público de pontas de cigarros, charutos ou outros cigarros contendo produtos de tabaco. O desrespeito por esta lei constitui uma contraordenação punível com coima entre os 25 e os 250€.

Como resposta a esta nova proibição, a Sinalux desenvolveu dois sinais:

  • P 35 43 para indicar os locais adequados para o depósito das pontas de cigarro;
  • P 35 44 para assinalar a proibição de descarte destes resíduos.

Estão disponíveis em PVC fotoluminescente, PVC opaco, alumínio plastificado e vinil, nas medidas: 150x200|200x300|300x400|400x600mm.


2020-05-20
2ª EDIÇÃO - SINALIZAÇÃO para DESCONFINAMENTO em Segurança!
A nova sinalização desenvolvida recentemente pela Sinalux, visando responder às recentes necessidades de sinais com procedimentos de segurança e sinalização de distanciamento nesta fase de desconfinamento, é um sucesso importante.
2020-05-20
2ª EDIÇÃO - SINALIZAÇÃO para DESCONFINAMENTO em Segurança!
A nova sinalização desenvolvida recentemente pela Sinalux, visando responder às recentes necessidades de sinais com procedimentos de segurança e sinalização de distanciamento nesta fase de desconfinamento, é um sucesso importante.

Clicando na imagem à direita, poderá aceder à atualização do novo catálogo de Sinalização "Risco Covid-19” onde destacamos as seguintes novidades:
• Sinal de procedimentos de uso de elevador;

• Sinalização de obrigação de medição de temperatura corporal;

• Sinal de interdição da utilização do provador de vestuário;

• Sinalização de lugar de assento indisponível;

• Discos autoadesivos para obrigações e proibições diversas;

• Sinalização amovível "tipo cavalete” para o solo;

• Pegadas autoadesivas para o pavimento;

• Sinalização específica para Transportes Públicos.


Informamos ainda que o novo programa governamental ADAPTAR – sistema de incentivos à segurança nas micro, pequenas e médias empresas – publicado pelo Decreto-lei n.º 20-G/2020, a 14 de maio, veio estabelecer um sistema de incentivos à adaptação da atividade empresarial ao contexto da doença COVID -19. Este programa visa apoiar as empresas no esforço de adaptação e de investimento nos seus estabelecimentos e considera elegíveis como despesas os custos com a aquisição e colocação de sinalização no interior e exterior dos espaços das:

Microempresas que realizem um investimento de valor em despesa elegível não inferior a € 500 e
não superior a € 5000 – Artº.8 alínea i);
Pequenas e médias empresas que realizem um investimento de valor em despesa elegível não inferior a € 5000
e não superior a € 40 000 - Art.º 18, alínea e).


Como sempre, continuamos 100% operacionais e disponíveis para quaisquer esclarecimentos adicionais.

next page
feder