Sinalização para escadas

São muitas as pessoas que nunca experimentaram descer uma escada em plena escuridão.

No entanto, quem já desceu conhece a enorme sensação de desconforto e insegurança: por não saber onde deve pisar, tem medo de cair e sente a necessidade de um apoio lateral. A tendência é sempre apoiar a mão na parede lateral da escada, afastando-se do corrimão e, ao mesmo tempo, procurar, cautelosamente, com um dos pés, o limite do degrau.

Numa situação de alerta de incêndio, com as escadas escuras ou com fumo, esta situação piora. O acumular de pessoas em pânico a caminhar nos extremos da escada, junto ao corrimão ou à parede, procurando apoio, faz com que uma escada de grande largura se transforme imediatamente numa escada estreita, onde só passa uma pessoa de cada vez. Essas mesmas pessoas, hesitantes em relação ao local onde apoiar o pé, fazem com que os tempos de evacuação do edifício sejam largamente ampliados em relação aos calculados nos simulacros (quando estes existem!)

Em Portugal, existe um grande número de edifícios de média altura, como é o caso de centros comerciais, hospitais, hotéis, escolas, estações ferroviárias e estações de metro - alguns destes com mais de dez caixas de escadas de evacuação por piso e com uma imensa densidade ocupacional.

Uma análise rápida dos riscos destes edifícios, e de uma forma não exaustiva, leva-nos a concluir:

a) São, habitualmente, edifícios de ocupação múltipla (de comércio e restauração, escritórios e residências, hotéis e apartamentos), o que agrava o risco;
b) A densidade ocupacional é muito elevada;
c) Os tempos de evacuação são maiores;
d) A definição dos caminhos de evacuação deverá considerar a impossibilidade de a evacuação se fazer, de imediato, até ao nível do solo, pois o edifício poderá ficar dividido pelo fogo;
e) O desenvolvimento de calor, fumo e poeiras ocorrerá com maior probabilidade e intensidade;
f) A intervenção das equipas de socorro só acontecerá por acesso interno, muito provavelmente usando as mesmas escadas que são usadas na evacuação.

Para minimizar estes riscos, a Sinalux desenvolveu um conjunto de dois produtos:
  • uma lâmina auto-adesiva, antiderrapante e fotoluminescente para aplicação no solo e 
  • uma lâmina em vinil auto-adesivo e fotoluminescente para os corrimãos.

A sua instalação permite manter sinalizados, e até iluminados, os limites das escadas, o início de cada degrau e o apoio para as mãos, mesmo numa situação de escuridão completa.

Assim, com a escada e o corrimão sinalizados e iluminados, toda a largura da escada será utilizada e não haverá hesitações quanto ao local onde pisar e onde apoiar, oferecendo ao usuário uma sensação de conforto e confiança para a descida, o que reduz enormemente os tempos de evacuação do edifício.

Estas lâminas evitam que se escorregue, por serem antiderrapantes, e têm uma protecção em policarbonato que lhes garante uma grande resistência ao desgaste. Por serem fotoluminescentes são perfeitamente visíveis no escuro e iluminam a escada e o corrimão.

Este tipo de aplicação é recomendado em várias normas e leis, tais como a norma francesa NF X08-050-2, o código de construção de Nova Iorque RS 6-1 e a norma internacional ISO 16069.

Para saber mais, consulte as páginas 137, 138 e 194 do catálogo Sinalux.
voltar